Na manhã desta sexta-feira (15/06) o deputado distrital Robério Negreiros (PSD) se reuniu com o presidente do Conselho do Idoso – CDI/DF, Francisco Benedito, para falar da extinção do Núcleo de Defesa do Idoso, que foi extinto após 10 anos de existência na DPDF (Defensoria Pública do Distrito Federal).

A decisão em extinguir o Núcleo de Defesa do Idoso, fundindo-o com o atendimento às pessoas com deficiência, não negligencia somente a população idosa, visto que os deficientes também perdem a exclusividade em seu atendimento. A população do DF é composta por 36% de idosos e 19% de deficientes, pessoas que merecem nosso respeito e proteção.

Se antes haviam dois núcleos para atendimento desses dois segmentos, com um defensor público exclusivo em cada um para atuar na defesa de suas peculiaridades e necessidades específicas, conforme previsto no Estatuto do Idoso e no Estatuto da Pessoa com Deficiência, como mensurar se o atendimento integrado manterá um padrão de excelência e qualidade necessários, agora que contará com apenas um defensor público para atuar em ambas as frentes?

A decisão da Defensoria Pública do DF parece ir na contramão do que já se tinha avançado, visto o prejuízo que essa decisão acarretará à população idosa do Distrito Federal, interrompendo as atividades no Núcleo, como estrutura administrativa, exatamente no Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa (15 de junho) e no Ano de Valorização e Defesa dos Direitos Humanos da Pessoa Idosa.

O deputado Robério Negreiros pediu informações à Defensoria Pública acerca das circunstâncias que ensejaram a decisão de extinguir o Núcleo de Defesa do Idoso e colocou-se à disposição dos idosos e de seus representantes legais para lutarem juntos por esta causa.