Estamos passando pela pior crise hídrica já registrada nos últimos 30 anos, no Distrito Federal. A gravidade da situação evidencia a necessidade de um debate que, além de mostrar as más condições de preservação das nascentes que abastecem o principal reservatório do DF, também analise e aponte soluções que afastem definitivamente do nosso cotidiano o fantasma do racionamento.

Responsabilidade. Talvez esta seja a palavra mais apropriada para expressar a imprescindibilidade da mudança de comportamento, tanto por parte do Estado, na gestão, fiscalização e controle da exploração do recurso, como da sociedade, no que diz respeito ao consumo consciente da água, preservação do meio ambiente e proteção das nascentes.

Por isso, considero que estamos diante de uma oportunidade singular de discutir novos modos de utilização da água de forma responsável, que garanta a suficiência do recurso e que, principalmente, esteja alinhado com os conceitos de sustentabilidade.