A carteira trará mais consciência à população sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA)

postado em 19/06/2020 16:16 / atualizado em 19/06/2020 16:44

A emissão do documento tem o objetivo de minimizar a angústia, a discriminação e o preconceito(foto: Hugo Barreto/Esp. CB/D.A Press)
A emissão do documento tem o objetivo de minimizar a angústia, a discriminação e o preconceito(foto: Hugo Barreto/Esp. CB/D.A Press)

Na última terça-feira (16/6), a Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) aprovou o Projeto de Lei nº 1.945/2018, a respeito da obrigatoriedade da emissão da carteira de identificação do autista. A proposta, de autoria do deputado distrital Robério Negreiros (PSD), visa minimizar a angústia, a discriminação e o preconceito vividos pelas pessoas dentro do espectro.

De acordo com o parlamentar, com a emissão do documento, a população ficará cada vez mais consciente sobre a necessidade de atenção especial do autista, já que o transtorno se faz oculto. Além disso, o documento irá contribuir para um censo com dados fidedignos quanto ao número de pessoas como o Transtorno do Espectro Autista (TEA) no Distrito Federal.
“O documento trará uma tranquilidade aos autistas e seus familiares, por ser um meio de comprovar a deficiência e proporcionará um atendimento adequado às pessoas com o transtorno quando estiverem em público”, ressaltou Robério Negreiros.
Para compartilhar: