Saiu na mídia – Ana Maria Campos
Coluna “Eixo Capital” – Correio Braziliense
Deputado distrital reeleito Robério Negreiros (PSD)

Está disposto a concorrer à Presidência da Câmara? Por quê?
O Brasil deixou evidente que quer experimentar novas propostas políticas. Esse é um momento de deixar o povo ouvir às novas vozes do Parlamento. Ou seja, esse debate sobre a Presidência da Câmara Legislativa não pode ser feito com açodamentos. É preciso deixar fluir novas ideias para a construção de um outro Distrito Federal e eu acho que contribuo mais em outras posições dentro do Parlamento.

Acha que o próximo presidente pode ser um novato?
Todos os 24 deputados eleitos têm legitimidade para se candidatarem ao cargo.

Como será o seu papel no próximo mandato? Oposição ou base?
Meu papel é a defesa do Distrito Federal e da nossa gente. O que for bom para todos, sou favorável. O que for desmando ou equívocos, sou contrário. Confesso que admiro a disposição e a garra do novo governador.

Acredita que Ibaneis conseguirá reduzir impostos e aumentar salários? Como seria essa mágica?
Ele montou uma equipe de notórios e é um homem inteligente. Acho que, se ele disse que dá para fazer, é porque sabe como o fará. Até porque nossos servidores são uma categoria combativa. Os últimos governadores experimentaram altas taxas de rejeição exatamente porque não valorizaram nossos servidores. Quer dizer, se prometer e não cumprir, pode enveredar pelo mesmo caminho de Agnelo Queiroz e Rodrigo Rollemberg.

Acha que a LUOS será votada até o fim deste ano?
Acho que sim. A questão do ordenamento urbano é urgente. E essa não é uma visão personalíssima. Tenho escutado a população e é quase uma unanimidade a urgência dessa votação. O crescimento desordenado gera problemas sérios, como bolsões de miséria, desassistência do Estado e aumento da violência, somado à falta de segurança jurídica para que novos investimentos venham para o DF, impedindo a geração de emprego e renda.

Quais são os pontos mais polêmicos?
Como membro efetivo da Comissão de Assuntos Fundiários – CAF, sigo estritamente a orientação dos servidores técnicos da área de ordenamento territorial da CLDF. Meu cuidado será em evitar especulações imobiliárias. O interesse coletivo prevalecerá na condução do meu voto na CAF e em plenário.

Aposta no sucesso dos governos Ibaneis e Bolsonaro?
Todo cidadão tem de apostar. Torcer contra é querer que se perpetue esse estado caótico que estamos vivendo em todas as áreas: da saúde à mobilidade urbana. Não pode piorar. Temos de acreditar e ter esperança de que tudo vai melhorar daqui para frente e temos de contribuir firmemente para o sucesso dos bons projetos do próximo governo.

Qual é a sua opinião sobre o projeto Escola sem Partido?
Não sou a favor de exageros. Como pai e defensor da família, sou frontalmente contrário à catequização ideológica e da questão de gênero. Mas também não sou a favor do patrulhamento que tem sido feito de maneira descontextualizada. Os exageros, como o da escola com banheiro sem gênero, no Paranoá, devem ser tratados como exceção.

Ana Maria Campos – Coluna “Eixo Capital” – Correio Braziliense

Para compartilhar: